REGULAMENTO GERAL LIGA AGILITY BRASIL 

TEMPORADA 2020

(Última atualização: 11/02/2020)

Este regulamento foi elaborado com intuito de agregar e popularizar cada vez mais a prática do agility  em todo território nacional.

Este regulamento é aplicável a toda e qualquer prova da LAB - Liga Agility Brasil, realizada no território nacional, o qual vigorará a partir de 01 de janeiro de 2020.

 

A LAB - Liga Agility Brasil tem a missão de organizar e promover provas agility, bem como o Circuito LAB, composto pelas provas regionais e uma prova Nacional durante a temporada.

 

A LAB, criada e administrada por competidores de agility, apresenta em sua hierarquia  um Gerente Nacional responsável este, pela organização burocrática e prova nacional. Conta ainda com uma equipe administrativa que é responsável por dar suporte aos Estados, on dede estes tem seus representantes denominados Diretores Estaduais que são os responsáveis por organizar competições oficiais nos Estados e suas regiões.

 

1 - Estrutura de provas do Circuito LAB

  • Toda a estrutura de provas aqui denominamos, “Arena Liga Agility Brasil” é de responsabilidade da diretoria da LAB, onde esta segue um formato padrão para todas provas regionais e a nacional.

​​

  • A área exigida para construir uma "Arena Liga Agility Brasil"  deve medir aproximadamente 800 mt². 

​​

  • Todas as infra-estruturas serão supervisionadas, avaliadas e liberadas pelo diretor daquele Estado.  

  • Todas as provas do Circuito LAB deverão oferecer estrutura para acomodar os atletas caninos e humanos com conforto e segurança, incluindo lanchonete, área de sombra, área de recreação e aquecimento para os cães, entre outras.

2 - Desenho do percurso

 

O desenho do percurso é deixado inteiramente à imaginação do árbitro, observando a distância de 5 a 7 metros entre os obstáculos, com pistas diferenciadas que valorizem a competição de agilidade, onde velocidade, eficiência e consistência trazem um grande espetáculo ao público. Antes do começo de uma competição o árbitro deverá inspecionar os obstáculos, podendo eliminar os que não se encontrem de acordo com o regulamento ou que não ofereçam segurança ao cão ou ao condutor. O árbitro verificará o percurso e medirá o mesmo. Um percurso bem desenhado permitirá que o cão faça um traçado fluido e seguro.

3 - Categorias de altura   

 

  1. Todos os cães participantes da Liga Agility Brasil serão classificados de acordo com sua altura, que será medida na cernelha, sendo as categorias oficiais as seguintes:

  • Categoria Pequena:  para cães medindo até 35cm de cernelha.

  • Categoria Média:  para cães com mais de 35cm até 43cm de cernelha. 

  • Categoria Intermediária:  para cães medindo mais de 43cm até 50cm cernelha. 

  • Categoria Grande:  para cães medindo mais de 50cm de cernelha.

 

  1. A critério do condutor, o cão poderá ser inscrito em um categoria de altura inferior a sua categoria oficial, que será chamado de Categoria Especial, observando o seguinte:

  • Cães inscritos em Categoria Especial poderão participar de todas as provas da LAB, contudo não concorrerão à premiação ou classificação em pódio;

  • Os resultados de cão inscrito em Categoria Especial serão computados para Títulos e para mudança de faixa;

 

4 - Qualquer Raça Menos Border Collie

Categoria destinada a cães com ou sem raça, que não sejam Border Collies, visando incentivar a participação de raças diversas.

  1. Participarão dessa categoria todos os cães não Border Collies medindo mais de 43cm de cernelha.

  2. Os cães dessa categoria saltarão altura equivalente à categoria Intermediária.

  3. A categoria terá premiação e pódio próprio.

5 - Obstáculos aprovados pela LAB 

  • Salto simples

  • Salto duplo

  • Salto em distância

  • Muro

  • Túnel

  • Passarela

  • Gangorra

  • Rampa "A" ou " Pirâmide" 

  • Slalon

   5.1 - Salto Simples:

 

          Obstáculo com a base de ferro, alumínio, pvc ou madeira,  barra de madeira com largura mínima de 1,20 mt , sendo que essa deve ser removível ao toque do cão, para trazer  segurança ao mesmo. As alturas das Categorias serão as seguintes:

 

5.1.1 - Faixas Azul e Preta

 

  •  Pequena: 20 cm

  •  Média: 30 cm

  •  Intermediária: 40cm 

  •  Grande: 50cm

  •  

5.1.1 - Faixa Amarela

  •  Pequena: 10 cm

  •  Média: 20 cm

  •  Intermediária: 30 cm 

  •  Grande: 40cm

   5.2 - Salto Duplo:

          Dois saltos simples colocados juntos para formar o salto duplo ( somente saltos com barras ). As barras serão colocadas em uma ordem ascendente com uma diferença de altura de 5 cm à 15 cm. A barra mais alta deverá ser colocada na parte posterior.

   5.3 - Salto em Distância:

  • Formado por 1 à 4 elementos

  •  Comprimento do salto: 1,20 mt

  •  Altura do elemento mais alto: 28 cm

  •  Altura do elemento mais baixo: 15 cm

  •  Largura de cada elemento: 15 cm ligeiramente inclinados

  •  Os quatro cantos deverão ser sinalizados por estacas

  •  Categoria Pequena: 02 unidades, distância máxima 40 cm

  •  Categoria Média: 03 unidades, distância máxima 100 cm

  •  Categoria Intermediária: 04 unidades, distância máxima 150 cm

  •  Categoria Grande: 05 unidades, distância máxima 150 cm

   5.4 - Muro:

        Segue as mesmas alturas especificadas nos saltos simples. 

  •  Largura mínima: 1,20mt.

  •  Espessura: 20cm. 

  •  Consiste em um painel liso no formato de muro, com módulos removíveis no alto no formato de telhas.

  

  5.5 - Túnel Aberto:

  • Diâmetro: 60 cm.  

  • Comprimento: de 3 mt à 6 mt. 

  • Flexível que permitirá formar uma ou mais curvas.

   5.6 - Passarela:

 

Altura: 1,20 mt mínimo a 1,35 mt no  máximo. 

Composta por 3 ( três ) pranchas. 

As pranchas deverão ter no mínimo 3,60 mt e no máximo 4,20 mt de comprimento cada e 30 cm de largura. Deverão ser confeccionadas com superfície antiderrapante.

As pranchas de subida e descida poderão ter barretes com intervalos regulares a cada 25 cm  para evitar escorregões e facilitar a subida e descida. Não deverão serem colocados a menos de 10 cm do começo das zonas de contato.

Estes barretes deverão ter 20 mm de largura e entre 05 mm a 10 mm de espessuras e não poderão ter qualquer  ponta cortante. As partes inferiores e laterais deverão ser pintadas com cor diferente a uma distância de 90 cm    em relação ao solo, indicando assim as zonas de contato.

   5.7 - Gangorra: 

O comprimento da prancha deverá ser de no mínimo 3,65 mt e no máximo de 4,25 mt, com largura mínima de 30 cm. A superfície deverá ser confeccionada de material antiderrapante.

 Altura do eixo central em relação ao solo: 1/6 da extensão da prancha. 

Exemplos: C: 3,65 m = A: 60 cm. C: 4,25 m = A: 70 cm. 

Zonas de contato: idênticas a da Passarela.

Esse obstáculo deve ser estável e a prancha antiderrapante, porém sem barretes. A gangorra deverá ser ajustada propriamente para o balanço  ( não deverá cair muito rápido ou muito devagar ) e permitir que os cães façam o balanço sem problemas. 

   5.8 - Rampa "A":

 

Duas rampas que formam um "A" . 

Largura de 90 cm mínima no topo  aumentando a largura da base para 1,15 mt . 

A superfície deverá ser confeccionada de material antiderrapante e poderá ter barretes, com intervalos regulares (a cada 25 cm) para evitar escorregões  e facilitar a subida e descida. Os barretes não deverão ser colocados a menos de 10 cm das zonas de contato. Esses barretes deverão ter 20 mm de largura e entre 05 a 10 mm de espessuras e não poderão ter qualquer   ponta cortante. As partes inferiores e laterais deverão ser pintadas com cores diferentes em uma extensão de 1,06 mt em relação ao solo, indicando assim as zonas de contato. O topo da rampa não deverá apresentar nenhum perigo ao cão, se necessário poderá ser colocado uma proteção de borracha. 

A altura máxima da rampa será de 1,70m.

  

   5.9 - Slalon:

Números de estacas: 12 com uma altura mínima de 1 mt a 1,20 mt. As estacas são rígidas e devem ter um  diâmetro de 3 cm a 5 cm. As estacas deverão ter um intervalo de 60 cm distância. O cão deverá entrar no slalom sempre com a primeira barra a sua esquerda.

 

6 - Largada / Chegada

 

Toda saída e chegada deverão ser no obstáculo salto simples.

Sobre a cronometragem, essa poderá ser feita pelo equipamento eletrônico (foto célula) e/ou cronômetro manual sendo, no mínimo de 02 (dois) cronômetros para maior segurança dos resultados.

7 - Condutor e Cão em pista

 

A dupla se prepara na pré-pista.

Ao ser convidado a entrar em pista, o condutor deverá se apresentar colocando seu cão em posição ( EM PÉ, SENTADO ou    DEITADO )  atrás da linha de saída, em seguida desatará a guia e deverá retirar a coleira, peitoral ou outros, cujo uso não é permitido por razões de segurança. Após o condutor ultrapassar a linha do primeiro salto, ele poderá voltar para corrigir o cão caso este saia da posição de fica, mas não poderá mais tocar no cão.

O condutor faixa amarela, azul ou preta não poderá ter nenhum objeto nas mãos ao entrar na pista, bem como seu cão não poderá receber petiscos ao entrar em pista, sendo eliminado se isso ocorrer.

O condutor poderá se posicionar em qualquer parte do percurso. O juiz dará autorização para o início da prova, fazendo-o através do silvo do apito. Se um cão passar, sem fazer o primeiro obstáculo, será penalizado com um refugo. A cronometragem começará assim que o cão ultrapassar o primeiro salto. Uma variedade de comandos e sinais são permitidos durante a prova. O condutor deverá assegurar-se que o cão transponha os obstáculos na ordem correta, sem tocar o cão e os obstáculos. Não é permitido ao condutor transpor os obstáculos. O final da prova e da cronometragem terminarão assim que o cão transpor o último obstáculo da pista.   

​8 - Julgamento

 

Todas as decisões do árbitro são inapeláveis, devendo os condutores tratarem o árbitro das provas da LAB com respeito e integridade.

9 - Penalidades 

Serão aplicadas três tipos de penalidades: 

9.1 - Falta - Toda vez que o juiz levantar o braço com a mão aberta é considerado falta e a dupla poderá ter números ilimitados de faltas no percurso. Cada falta a dupla será penalizada com 3 segundos a mais em seu tempo de pista.

            Marcação de faltas:

 

  • O condutor, que não intencionalmente, obtenha vantagem ao tocar no seu cão durante o percurso será penalizado com a falta, se for intencional será eliminado.

 

  • Saltos simples e duplos - Constitui falta cada vez que qualquer parte de qualquer obstáculo se desloque de sua posição inicial até o chão, desde que o cão não tenha transposto o obstáculo seguinte.

 

  • Salto em distância - A dupla será penalizada com uma falta caso o cão derrube um dos elementos.

 

  • Zonas de contato - Na Rampa “A”, Passarela e Gangorra, o cão deverá tocar obrigatoriamente a área de contato com uma das patas tanto na subida como na descida. A não execução deste constitui falta a cada vez.  

 

  • Gangorra - A dupla será penalizada com uma falta caso o cão salte da gangorra antes que ela toque o chão.        

  

  • Slalon - O cão será penalizado com uma falta caso salte uma das varas do slalom ou saia dele antes do terminar o obstáculo. Neste obstáculo só se contabiliza a falta uma vez.

9.2 - Refugo – toda vez que o juiz levantar o braço com a mão fechada é considerado refugo e a dupla poderá ter 2 ( dois ) refugos.  Por cada refugo a dupla será penalizada em 3 segundos a mais no seu tempo de pista e ao terceiro refugo será eliminada.

         

               Marcação de refugos:

 

  •               O cão que parar em frente de um obstáculo, que pare no percurso sem ordem expressa do árbitro ou inverta o sentido da corrida. 

 

  •          O cão que desviar pela lateral para evitar um obstáculo, que colocar uma pata ou a cabeça em qualquer túnel e saía novamente ( observando que seja aquela a entrada de túnel da sequência dos obstáculos caso contrário, será considerado abordagem de obstáculo fora da sequência e consequente eliminação). 

 

  • Gangorra - O Cão que subir na gangorra e sair dela antes de ultrapassar o ponto do meio, será penalizado com um refugo.

 

  • Rampa e passarela - O Cão que tocar na prancha de subida e sair do obstáculo, sem ultrapassar o final da prancha de subida, será penalizado com refugo. Caso o cão ultrapasse o final da prancha de subida, será penalizado apenas com uma falta.

 

  • Slalon: Caso o cão pule uma das barras ao entrar ou entre no obstáculo com a primeira barra a sua direita, será penalizado com um refugo.

          Refugos devem ser corrigidos do contrário resultará em eliminação.

10 - Eliminação 

Toda vez que o juiz levantar os braços em sinal de "X" significa que a dupla foi eliminada podendo mesmo assim terminar a pista.

    Marcação de eliminação:

 

  • Comportamento inadequado para o árbitro.

  • Comportamento incorreto para com o cão.

  • Comportamento inadequado, antidesportivo ou anti-ético contra outros condutores.

  • Começando o percurso antes do sinal de começo do árbitro.

  • Fazer obstáculo fora da sequência. 

  • Esquecimento de fazer um obstáculo.

  • Abordar um obstáculo na direção errada 

  • O cão ou o condutor destruam um obstáculo de tal maneira que o impeça de novamente ser utilizado durante o percurso. Em caso de refugo ou de a dupla ter de voltar a fazer o obstáculo. 

  • O condutor levar algo em sua mão.  

  • Tocar o cão no início depois que condutor cruzou a linha do começo 

  • O cão saia do perímetro da pista, não estando mais sob controle do condutor. 

  • Cão que defeca ou urina em pista. 

11 - Penalidades específicas a cada obstáculos 

    11.1 - Passarela:

    O cão que saltar do obstáculo antes de haver tocado com as quatro patas na parte descendente será penalizado com um refugo. Se o cão regressar ou parar, sem descer do obstáculo, deve ser considerada apenas a perda de tempo. Se descer do obstáculo pela entrada do mesmo será penalizado com um refugo, devendo retornar e abordá-lo corretamente.

    11.2 - Gangorra:

     O cão que saltar do obstáculo antes de haver ultrapassado o eixo da gangorra será penalizado com um refugo.  A Gangorra deverá tocar o solo antes que o cão deixe o obstáculo.

    11.3 - Rampa "A":

    O cão que saltar do obstáculo antes de haver tocado com as quatro patas a rampa descendente, será penalizado com um refugo.

    11.4 - Slalon:

       11.4.1 - A primeira estaca deverá estar a esquerda do cão, a segunda a direita e assim por diante. 

      11.4.2 - Cada entrada incorreta será penalizada com um refugo. Os demais erros, o cão deverá ser penalizado com uma única falta. Todas as faltas no Slalon deverão ser corrigidas imediatamente. 

       11.4.3 - Voltar fazendo ao contrário mais de DUAS estacas resultará em eliminação. 

       11.4.4 - O obstáculo deve ser completado corretamente, caso não seja e o próximo obstáculo for abordado, o cão será eliminado.

     11.5 - Salto em Distância

 

     O obstáculo é armado e espaçado de acordo com as medidas específicas. Andar através do obstáculo, passar pelo obstáculo sem abordá-lo e saltar pelos lados não atravessando completando o salto será considerado um refugo. Apoiando ou Derrubando um dos elementos ou colocar uma pata entre eles será penalizado com uma falta. Contatos casuais não serão penalizados. Terão de estar em aproximação segura com a trajetória ideal do cão a partir do obstáculo anterior.

     11.6 - Túnel

 

   Se o túnel  for o obstáculo seguinte e o cão, em lugar de entrar no obstáculo, saltá-lo, será penalizado com um refugo e não com eliminação. 

     11.7 - Muro

     A queda de telhas é considerado falta. Não se considerará falta roçar o elemento durante o salto, salvo se o cão realizar "banking", ou seja, se apoiar com as patas para impulsionar o corpo. 

    11.8 - Saltos Duplos

    Trata-se de duas barras simples que devem ser ultrapassadas de um único salto. O cão será penalizado com uma falta se uma ou as duas barras caírem. 

12 - Das Faixas 

 

     As Faixas representam nível de dificuldade das provas e da dupla, sendo as seguintes:

12.1 Faixa Branca 

A Faixa branca é uma faixa de treinamento e aprendizagem, destinada a condutores que queiram acostumar seu cão ao ambiente de prova. Qualquer cão de qualquer idade poderá competir na faixa branca. Suas regras são as seguintes:

 

  • O percurso da Faixa Branca será simples, com no máximo duas trocas de mão, até 8 obstáculos e as barras estarão no chão ou com altura reduzida.

  • O condutor poderá entrar em pista com brinquedo OU petisco, desde que o petisco não solte pedaços ou farelos que possam prejudicar as outras duplas.

  • O cão poderá entrar na pista de guia e coleira. Caso o cão entre de guia, ele só poderá fazer o percurso com as barras no chão.

  • Não haverá pódio na Faixa Branca, podendo ter premiação por participação.

  • A dupla poderá mudar da faixa branca para a amarela OU azul a qualquer momento durante a temporada, desde que faça o pedido.

 

12.2 Faixa Amarela 

 

A faixa amarela é destinada a cães iniciantes, onde as alturas dos saltos serão levemente menores. Para competir na faixa amarela, o cão terá que ter pelo menos 12 meses completos na data da prova, e suas regras serão as seguintes:

 

  • O percurso da faixa amarela deverá ser fluído e simples, e poderá conter apenas: Saltos simples, salto em distância, muro e túneis.

  • O percurso de faixa amarela terá no máximo 18 obstáculos.

  • A dupla que começar a temporada na Faixa Amarela apenas poderá passar para a faixa Azul ao final da temporada, não sendo necessário a obtenção de nenhum índice para isso.

  • As alturas dos saltos na faixa amarela serão:

 Pequena: 10cm 

 Média: 20cm 

 Intermediária: 30cm 

 Grande: 40cm 


 

12.3 Faixa Azul 

 

A Faixa Azul é uma categoria mais avançada, onde a dupla será desafiada com sequências mais elaboradas e complexas. Para competir na faixa azul, o cão deverá ter 18 meses completos na data da prova. Suas regras serão as seguintes:

 

  • O Percurso da Faixa Azul poderá ser mais elaborado, com sequências e movimentos mais complexos. Todos os obstáculos aprovados pela LAB poderão ser usados na pista da faixa azul.

  • A faixa azul terá dois tipos de pista: Agility  e Jumping. No jumping não poderão ser utilizados os obstáculos de contato, enquanto que no Agility poderão ser utilizados todos os obstáculos.

  • A pista de faixa azul terá no máximo 22 obstáculos.

  • A dupla que obtiver 02 índices em provas na faixa Azul, sendo 1 Excelente Zerado em pista de agility e 1 Excelente ou excelente zerado em pista de jumping OU 1 Excelente Zerado em pista de jumping e 1 Excelente ou excelente zerado em uma pista de Agility, será promovida a faixa Preta.


 

12.4 Faixa Preta

A faixa preta é a categoria mais complexa da Liga Agility Brasil, sendo composta de pistas com desenhos de nível internacional. Para competir na faixa preta a dupla deverá ter conquistado sua passagem para a faixa na temporada anterior, e suas regras são as seguintes:

  • O Percurso da Faixa Preta serão os mais elaborado, com sequências e movimentos complexos, equiparados a percursos de provas internacionais. Todos os obstáculos aprovados pela LAB poderão ser usados na pista da faixa azul.

  • Será permitido a utilização de formato open, com uma única pista para a faixa azul e preta, com pódio e critério de velocidade separados. Nesses casos, o juiz deverá elaborar uma pista de acordo.

  • A faixa preta terá dois tipos de pista: Agility  e Jumping. No jumping não poderão ser utilizados os obstáculos de contato, enquanto que no Agility poderão ser utilizados todos os obstáculos.

  • A pista de faixa preta terá no máximo 22 obstáculos.

12.5 - Das velocidades mínimas:

  - Faixa Amarela: 3,4m/s

  - Faixa Azul: Agility - 3,4m/s

                                Jumping - 3,8m/s

  - Faixa Preta: Agility - 3,6m/s

                                Jumping - 4,0m/s 

 

13. Generalidades

 

Esse regulamento Geral segue padrão e referência para todas as provas organizadas pela LAB, e a cada temporada/ano será criado um regulamento do circuito LAB que tem o objetivo de chegar a todas regiões brasileiras.

Parágrafo Único : Casos omissos a esse serão resolvidos pelos diretores LAB.

Regulamento Circuito Liga Agility Brasil 2020

(última atualização: 14/02/2020)



 

O presente regulamenta o Circuito Liga Agility Brasil (Circuito LAB) de 2020.

 

O Circuito LAB é um conjunto de provas formado pelas provas regionais homologadas para o ano e pela prova nacional, prova máxima da Liga Agility Brasil.

 

Todas as provas do circuito LAB serão regidas pelo regulamento Geral da Liga Agility Brasil.

 

1. Calendário

 

As provas homologadas para o circuito LAB, em 2020, são as seguintes:

 

  1. Etapa Centro Oeste, a ser realizada em Brasília/DF, na data de 2 e 3 de Maio.

  2. Etapa Sudeste, a ser realizada em São Paulo, na data de 22 e 23 de Agosto.

  3. Etapa Nacional, a ser realizada em Belo Horizonte/MG, na data de 14 e 15 de Novembro.

  4. Final da Nacional, a ser realizada em Belo Horizonte/MG, na data de 15 de Novembro.

Obs: Por motivo de força maior, a organização de cada etapa se reserva no direito de fazer mudança de data, informando os competidores com a maior brevidade possível e ressarcindo possíveis pagamentos de inscrição.

2. Das incrições:

As inscrições para as etapas do circuito LAB serão realizadas exclusivamente pelo formulário de inscrições presente no site http://www.ligaagilitybrasil.com.br.

  1. As inscrições só serão consideradas efetivadas após o pagamento, que deverá respeitar o prazo presente no site.

  2. É de inteira responsabilidade do competidor verificar, tanto no e-mail de confirmação, quanto na lista de inscritos divulgada no site, se seus dados de inscrição estão corretos, tais como: nome do cão, nome do condutor, raça do cão e categoria inscrita. Em hipótese alguma serão efetuadas correções nesses e outros dados no dia da prova.

  3. Após realizada a inscrição, o condutor que desistir de participar da prova e avisar com até 48hrs de antecedência, por meio escrito, será ressarcido de 50% do valor. Não serão ressarcidos valores pagos caso o condutor não avise ou não se apresente no dia da prova.

  4. Valor das inscrições, por etapa:

  • Faixa Branca: R$30,00

  • Faixas Amarela, Azul e Preta: R$100,00

3. Pontuação de pódio

A colocação de pódio para todas as etapas se dará pela somatória de pontos, onde a dupla receberá pontos por cada perna na prova, seguindo a seguinte tabela: 

 


 

  1. A classificação nas pernas será dada pela somatória do tempo da dupla e suas faltas, onde cada falta cometida na perna acrescentará ao tempo 3 segundos.

  2. Refugos não acrescentarão ao tempo, sendo contados apenas para efeito de eliminação no terceiro refugo.

  3. Cada etapa consistirá em duas pistas de jumping e duas de agility, para as faixas Azul e Preta e quatro pistas de jumping, para a Faixa amarela, com exceção da Final da Nacional, que consistirá em uma pista de jumping e uma pista de agility. 

  4. Em caso de empate na colocação de pódio, serão considerado os seguintes critérios de desempate, em ordem:

 

  • Será considerada dupla vencedora a que obtiver o maior número de excelente zerados na etapa.

  • Caso persista o empate, será considerada vencedora a dupla que tiver o maior numero de excelente zerados em pistas de agility na etapa.

  • Persistindo o empate, será considerada vencedora a dupla que tiver a menor somatória dos tempos de todas as 4 pernas da prova.


 

4. Dos classificados para a final da nacional

Apenas duplas previamente classificadas poderão competir na final da Nacional, e serão classificadas as 3 primeiras duplas da colocação de pódio de cada categoria, nas Etapas Centro-Oeste, Sudeste e na Nacional.

  1. Caso uma dupla já esteja classificada em Etapa anterior, a vaga da nacional passará para a dupla seguinte. Isso se repetirá até que 3 duplas sejam selecionadas na categoria em cada etapa, desde que a dupla tenha obtido pelo menos um ponto na Etapa.

5. Das premiações e títulos

 

Serão premiados os 3 primeiros colocados de cada categoria em cada faixa.

 

  1. As duplas ganhadoras da Etapa Centro-Oeste serão denominadas Campeãs Regionais do Centro-Oeste.

  2. As duplas ganhadoras da Etapa Sudeste serão denominadas Campeãs Regionais do Sudeste.

  3. As duplas ganhadoras da Nacional serão denominadas Campeãs Nacionais de 2020.

  4. As duplas ganhoradas da grande final da Nacional, a prova mais importante da Liga Agility Brasil, serão denominadas Campeãs Brasileiras de 2020.

  Adriano Soares da Silva

   Diretor Nacional LAB

Regulmento geral